Veja 5 dicas para criar a Buyer Persona do seu negócio

O Marketing Digital é um grande guarda-chuva de metodologias e estratégias. Entretanto, independente da área escolhida dentro do marketing, alguns conceitos se repetem pela importância que tem no estabelecimento de estratégias de comunicação claras e objetivas. 

Um exemplo, é a definição das personas. Sem elas, os esforços de tempo e custo em estratégias de comunicação e publicidade se tornam ineficientes, porque sem compreender para quem é direcionada a informação, o objetivo da divulgação muitas vezes não é atingido.

Abordaremos neste artigo 5 dicas para criar a Buyer Persona do seu negócio, um conceito desenvolvido em 1986 com o objetivo de otimizar ainda mais as estratégias de marketing ligadas ao consumidor. Mas antes de compreender esse conceito, precisamos compreender o que são as personas e como elas afetam seu negócio!

O que é persona?

O conceito de persona pode ser definido como uma representação semi fictícia do cliente ideal de uma marca ou empresa, sempre baseado em dados e comportamentos reais. 

Como já vimos, a persona surge como uma ferramenta de orientação de estratégias de comunicação e marketing para empresas, visando a criação de conteúdos e divulgações alinhadas ao consumidor. Dessa forma, o objetivo é criar um personagem que englobe as principais características do cliente da marca.

Durante a criação da persona, diversas perguntas devem ser respondidas com base em dados demográficos e comportamentais:

  • Quem são seus clientes?
  • Com o que trabalham?
  • O que necessitam? Quais são suas dores?
  • Como se informam?
  • Com o que se preocupam

Qual a diferença entre público-alvo e persona?

Pode ser que pareçam a mesma coisa, mas não se engane: público-alvo e persona são conceitos diferentes. Enquanto o público-alvo define um segmento genérico de pessoas com características semelhantes para direcionamento das campanhas, a persona cria uma identidade ao consumidor muito mais clara, como se fosse representada em uma única pessoa e não por um grupo.

Apesar de ainda ser muito utilizada por profissionais do marketing, a definição de público-alvo gera estratégias mais amplas, abrindo brecha para ambiguidades e estereótipos inconscientes. Por outro lado, a persona sana esses riscos ao permitir uma estratégia mais alinhada à realidade do consumidor ideal.

Tipos de persona

Ainda que a persona traga maior detalhamento do cliente ideal, é possível se aprofundar ainda mais nos tipos de persona existentes, de acordo com o propósito de cada um. Confira abaixo os principais tipos de persona existentes!

Audience persona

Tem como objetivo compreender o perfil de quem busca seu conteúdo digital – seja em visitas em páginas de site, artigos em blog ou conteúdos em redes sociais. É uma ferramenta essencial para quem deseja aumentar o engajamento dos usuários.

Brand persona

A brand persona surge como uma forma de criar identidade para a marca. A ideia é humanizar a marca trazendo seu propósito, visão e valores na forma de um personagem – na maioria das vezes, digital. Funciona como mais um diferencial da marca para gerar maior identificação do usuário com a marca. 

Buyer persona

Por fim, mas não menos importante, temos a buyer persona!

Enquanto a audience persona trata da imagem da audiência, a buyer persona trabalha com a representação do seu comprador ideal. Dessa forma, é construído um personagem semi fictício com as demandas, desafios, objetivos e comportamentos da pessoa para a qual suas estratégias devem ser direcionadas.

Agora que já sabe mais sobre a importância da buyer persona, é hora de descobrir como colocar em prática e criar a sua própria. Confira!

5 dicas para criar uma Buyer Persona

  1. Benchmarking

Antes de tudo, o benchmarking é etapa comum e importante em diversos processos e tomadas de decisão em um negócio. Dentro da definição de uma persona, é objetivo do benchmarking trazer contexto e informações relevantes sobre concorrentes do mercado. 

Assim, conhecendo os diferenciais competitivos frente a outros players e a forma como se comunicam com suas personas, é possível entender a abordagem adequada com o nicho desejado.

  1. Pesquisa com clientes

Sabendo que o buyer persona é a representação dos atuais clientes do negócio, é imprescindível compreender quem são eles com base em dados reais e não apenas na imaginação da equipe de marketing.

Caso a empresa já possua clientes, é importante entrevistar e coletar o máximo de informações sobre dados demográficos, expectativas, valores, dores e principalmente sobre os motivos que o levam a escolher sua marca invés das demais empresas do mercado.

  1. Uso das redes sociais

Com o crescimento acelerado das redes sociais, houve um aumento na sua relevância para as empresas, seja para venda dos produtos e serviços, relacionamento com o cliente ou criação da identidade da marca.

No caso da criação do buyer persona, as redes sociais se tornam aliadas durante a captação de dados dos usuários. Aqui, uma boa dica é fazer treinamentos que ensinem as mais variadas estratégias de marketing digital, como o curso formula negocio online. Dessa forma, é possível aprender sobre todas as principais frentes do Marketing Digital e, com isso, conhecer os diferentes perfis dos consumidores em redes sociais como Facebook, Instagram ou até mesmo Linkedin. 

  1. É possível ter mais de uma persona

Se tratando de uma ferramenta para criar um perfil bem específico para seu negócio, é possível que uma única definição de buyer persona não seja ideal para representar todos os clientes. Caso faça sentido, você pode – e deve – criar quantas personas achar necessário. 

  1. Compartilhamento de informações

A última dica é simples: ao criar sua persona ideal, compartilhe com seu time. As informações coletadas poderão ser úteis durante a criação de toda e qualquer estratégia para seu negócio, para evitar informações desconexas.

E aí, curtiu o conteúdo?

Compartilhe abaixo sua opinião com a gente!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.